Palestras trazem exemplos da aplicação de inteligência artificial na agricultura

By in
Palestras trazem exemplos da aplicação de inteligência artificial na agricultura

Setor já tem aplicado tecnologias para aumentar produtividade.

“Inteligência artificial na agricultura é um caminho sem volta”. A frase do professor Edney Leandro da Vitória, do Centro Universitário Norte do Espírito Santo (Ceunes/Ufes), resume a temática das palestras desta quinta-feira (3) na IV Jornada de Integração do Ifes. Também palestrou Frederico Comério, diretor de Tecnologia da Intelliway, que trouxe exemplos de aplicação da IA em várias áreas, inclusive no setor agrícola, com mediação do professor Abrahão Elesbon, do Ifes – Campus Colatina.

Em sua fala, o professor Edney apresentou como a IA já é utilizada na agricultura, como a agricultura de precisão para monitoramento de lavouras, utilização de sensores e atuadores que monitoram vários indicadores, sensoriamento remoto de pastagens e robotização das operações agrícolas. Segundo ele, a aplicação da inteligência artificial no setor já é uma realidade, com o objetivo de melhorar a produtividade e até reduzir custos.

Os desafios para a IA na agricultura são muitos, de acordo com Edney, uma vez que há muitas variáveis como: as alterações climáticas; o aumento populacional, e consequente demanda por uma agricultura mais eficiente; e necessidade de um grande volume de dados para aprendizagem das máquinas e para algoritmo chegar a resultado similar ao executado por humanos. Entre os desafios citados pelo professor estão a aplicação de agricultura de precisão em pequenas, médias e grandes propriedades; ampliação de pesquisas e inovações em smart farming e o desenvolvimento e adaptação de plataformas digitais para suporte à tomada de decisão na agricultura, entre outros.

Frederico apresentou conceitos relacionados à transformação digital e seus efeitos em diversas áreas, inclusive na agricultura. “A IA simula as capacidades cognitivas humanas e é a mola mestra da 4ª revolução industrial”, destacou. Diferente da computação tradicional, que trabalha com algoritmos determinísticos, a inteligência artificial se aproxima do comportamento humano, aprimorando de acordo com as experiências anteriores.

Ele ressaltou que é preciso deixar de lado o conceito “hollywoodiano” de inteligência artificial como “consciência artificial”. “Na realidade, IA são algoritmos de visão computacional, como identificação fácil; predição, como as sugestões da Netflix baseadas no comportamento do usuário”, exemplificou. Frederico trouxe ainda algumas aplicações de IA na agricultura com alto índices de precisão, como sensores para automação de hidroponia e uso de drones e câmeras termais para localização de ninhos de pássaros na lavoura.

Assista a palestra na íntegra no canal da Jornada de Integração no YouTube.