(Itami to) Ai no Haibun

flvschtz — Serra — 2020

Desse teu corpo os olhos são a mais bonita parte. Seja por essa cor ou formato jaboticaba. Tão expressivos os olhos pequeninos… E com cílios úmidos faz-se o singular conjunto no chuveiro. É que neles posso ver tudo aquilo que não percebes:

tu consegues o Universo trazer só ao me olhar. Minha cabeça cria esse amor que os gestos enganam. Os corpos acabam pagando o que o coração tanto anseia: a utopia de um amor seguro [pronto, sem medo].

Voejo em direção ao céu vermelho e é perceptível: do campo à cidade, o inverno vem. A folha em pé resiste à névoa. Acordo com teu carinho, escutando-te perguntar sobre como prefiro meu café e, de repente, atino: não há mais ninguém aqui.

Não raramente sondo por onde andas. Mas compreendo que, como sempre deveria ter sido, agora sou eu por mim — e isso terminará bem. Sinto a hora por fim avizinhar-se: o azo chegou.

O amor, em seu estado puro, não brota do ressentimento.

quando expressas
as dores se curam sós
como num haibun.

俳文か拝聞か?

俳文 • haibun • haiku + sentence • prose with a poetic haiku flavour • forma literária japonesa de haiku com prosa
拝聞 • haibun • worship + listen • hear, listen to • escuta ativa
…か…か? • comparative sentence • forma japonesa de comparar elementos

Uma prosa poética à luz da estética japonesa.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *